Vivendo bem após o câncer de próstata

2021-11-25T11:49:19-03:00

O câncer ainda é uma doença que carrega consigo muitos estigmas, preconceitos e tabus. Mas a verdade é que entre números e índices preocupantes, os avanços da medicina têm garantido não apenas novas formas de tratamentos, mas também maiores chances de cura para a doença. Assim é o caso do câncer de próstata, que quando descoberto em sua fase inicial apresenta uma taxa de cura superior a 90%. Por isso, para além do prognóstico, é importante também falarmos sobre a vida após o fim do tratamento.

Leia mais: Novembro azul: sintomas, tratamento e prevenção do câncer de próstata

Vencido o câncer, é hora de avaliar o seu estilo de vida e adotar novos hábitos saudáveis. São diversos os estudos que comprovam e reforçam a efetividade da atividade física regular e da alimentação saudável tanto na prevenção do câncer de próstata quanto na cura da doença. Porém, assim como o corpo, a mente também precisa de uma atenção especial, já que alguns traumas e sequelas da enfermidade podem afetar drasticamente a qualidade de vida e a autoestima de muitos pacientes.

Confira algumas dicas e informações importantes sobre como viver bem após o câncer de próstata.

Exercício físico é importante aliado

Um estudo inédito publicado pelo periódico International Journal of Epidemiology, financiado pelo Fundo Mundial de Pesquisa do Câncer e pela organização sem fins lucrativos Cancer Research UK, apontou que os homens que praticam atividade física apresentam um risco 51% menor de desenvolver o câncer da próstata. Os dados disponibilizados pela Associação de Fronteiras de Pesquisa em Câncer nos Estados Unidos também são bastante positivos ao relacionar os exercícios físicos com a cura do câncer. Segundo o trabalho científico, apenas 15 minutos diários de prática física seriam suficientes para reduzir a taxa de mortalidade em pacientes diagnosticados com a patologia.

Além de diminuir o risco da recidiva da doença e as chances de desenvolver outros tipos de câncer, a prática regular de exercícios físicos traz diversos outros benefícios ao corpo e mente, como a melhora do condicionamento cardiovascular, controle de peso, aumento do tônus muscular, redução de fadiga e dos sintomas da ansiedade e depressão. Por isso, dedique de 30 a 60 minutos diários a alguma prática esportiva ou atividade física e mantenha-se em movimento, sempre com a ajuda ou orientação de um profissional habilitado.

Leia: Câncer de próstata não é a única doença que afeta homens: conheça as 5 mais comuns

 Alimente-se bem e viva melhor

Uma alimentação saudável e equilibrada é uma regra geral para qualquer indivíduo que deseja manter a saúde em dia, a qualidade de vida e o bem-estar. Após o tratamento do câncer, essa nem sempre é uma tarefa fácil para muitos pacientes, já que alguns efeitos colaterais como náuseas, diarréias, sudorese e ondas de calor após as refeições podem permanecer durante algum tempo. Mas a boa notícia é que eles tendem a melhorar.

Uma dica é fracionar as refeições, comendo porções menores e mais vezes ao dia. Caso sinta dificuldade para ingerir determinados alimentos, procure variar a alimentação e implementar novos hábitos, sempre com foco nos itens mais saudáveis e naturais. A ajuda de um profissional da nutrição pode ser fundamental neste momento para garantir uma dieta balanceada, com todos os nutrientes necessários para o bom funcionamento do corpo.

Se o tratamento deixou sequelas, busque ajuda

 Como em qualquer outra doença, o tratamento do câncer de próstata pode provocar algumas sequelas que causam medo, insegurança e apreensão. Nesse tipo de câncer, as complicações mais comuns são a disfunção sexual erétil, que é caracterizada pela inabilidade para ter ereção suficiente para manter uma relação sexual, e a incontinência urinária, que consiste na perda de urina de forma involuntária.

Estima-se que 75% dos pacientes operados e 65% dos irradiados apresentam algum nível de disfunção sexual em até cinco anos, enquanto a incontinência acomete 15% dos pacientes submetidos à cirurgia e 4% dos que fizeram radioterapia. Caso o homem sofra com alguma dessas sequelas, se torna ideal buscar o acompanhamento médico para um estudo individualizado do caso e tratamento personalizado, já que elas podem ser amenizadas ou totalmente revertidas.

Leia também: 8 mitos e verdades sobre o câncer de próstata