Check-up médico pós-covid: por que é importante fazer?

2021-09-04T13:04:53-03:00

Quando o vírus Sars-coV-2 (o coronavírus) se espalhou pelo mundo, gerando a atual pandemia, pouco se sabia sobre os reais efeitos da sua infecção. Hoje já é fato que a Covid-19 pode ser um processo que vai muito além do final da fase aguda da doença. Isso porque mesmo após o vírus deixar o organismo, as consequências do contágio podem permanecer por meses espalhadas por diversos órgãos.

As sequelas da Covid afetam não somente pacientes que desenvolvem as formas mais graves da doença, mas também aqueles que apresentam a infecção de forma leve ou moderada, e até mesmo os assintomáticos. Por isso, é consenso entre os médicos de diferentes especialidades que os cuidados com os pacientes não devem ser encerrados após o fim dos sintomas.

Posterior à infecção, os danos podem ser percebidos a curto, médio e longo prazo, e até mesmo sem apresentar sintomas. Portanto, o acompanhamento médico e a checagem detalhada da saúde é tão importante, principalmente quando há queixas persistentes ou antes de iniciar uma atividade física.

Como o coronavírus age?

Ao entrar no corpo humano, o vírus Sars-coV-2 se multiplica dentro do sistema respiratório e, com o passar dos dias, se espalha pelo organismo. Nosso corpo reage à invasão e, na maior parte das vezes, o sistema imune consegue combater o vírus de forma eficaz, resultando em formas leves da doença. Quando isso não acontece, o paciente desenvolve sintomas mais graves.

Sejam em casos assintomáticos, leves, moderados ou graves, por ser uma doença sistêmica, a Covid-19 é capaz de comprometer vários órgãos humanos e de desencadear diversos processos inflamatórios em diferentes regiões do corpo, afetando principalmente o pulmão e as vias respiratórias, mas com grande potencial de sequelas neurológicas, cardiológicas, vasculares e até mesmo psiquiátricas.

Um estudo publicado pela revista científica The Lancet, que reúne dados e resultados de pessoas recuperadas da doença, revela que um ano após a infecção, pacientes ainda apresentam falta de ar, dores, desconfortos, problemas de mobilidade, fraqueza muscular, além de ansiedade ou depressão.

Quais exames fazer?

Isso irá depender do quadro da doença e se você apresenta alguma sequela ou não. A melhor opção é procurar um clínico geral para a realização de exames clínicos e laboratoriais. Caso haja a necessidade de uma avaliação complementar, o médico irá fazer o encaminhamento do paciente para as especialidades necessárias.

Como o pulmão está entre os órgãos mais afetados pela doença, podendo ser acometido de graves infecções, a avaliação física de um pneumologista após a cura da Covid vai apontar a necessidade de exames adicionais mais detalhados, como a tomografia do tórax e a prova de função pulmonar.

Pacientes que tiveram casos leves, moderados ou graves da doença também devem passar por avaliações cardiológicas, incluindo exame físico e clínico, mesmo que não tenham sintomas, pois arritmias e insuficiências cardíacas com consequências graves podem surgir após a infecção pelo vírus. Esse check-up é ainda mais importante antes do retorno para as atividades físicas.

As sequelas neurológicas do coronavírus seguem sendo estudadas. Os relatos de pacientes apontam para sintomas como déficit de memória, cefaléia e neuropatia periférica. Caso o paciente apresente algum desses sintomas, o ideal é que seja realizada uma avaliação pelo neurologista para que sejam analisadas as formas de tratamento.

Faça seu check-up e mantenha os cuidados

 Independente do grau dos sintomas provocados pela infecção, o check-up médico após a recuperação da Covid-19 é extremamente importante. Esse mapeamento irá garantir que as sequelas deixadas pelo contágio sejam tratadas e prevenir doenças que levam às comorbidades, assegurando uma melhor qualidade de vida. Saúde é prevenção!

E mesmo com a vacinação contra a Covid avançando pelo Brasil, a reinfecção pelo coronavírus é uma realidade e os cuidados básicos devem ser mantidos. Então, higienize bem as mãos com água e sabão ou use álcool em gel, utilize máscaras e evite aglomerações. A luta contra a pandemia é de todos.