Dicas de saúde

Dicas de Saúde para as futuras mamães

Dicas para você lidar melhor com os primeiros dias de nascido do seu bebê.

Text_2

Hoje em dia, os pais podem encontrar com bastante facilidade informações sobre a saúde e os cuidados de um bebê recém-nascido. Os cursos para gestantes, a consulta feita com o pediatra a partir da 32ª semana da gestação – indicada pela Sociedade Brasileira de Pediatria – e até mesmo no maior concorrente de todos os consultórios médicos (o Dr. Google), já diminuem um pouco a ansiedade e as dúvidas dos pais quando chegam em casa. Mas, mesmo assim, a amamentação, os cuidados com o umbigo da criança, o sono do bebê são as principais questões que podem, muitas vezes, tirar o sono dos pais. Por isso, nesse artigo pretendo tirar essas dúvidas que se mostram bastante frequentes em meu consultório.
O recém-nascido é totalmente dependente dos adultos. Assim, após toda essa fase de espera, os pais passam a ser o centro do universo desse bebê. E para que esse “início de relacionamento” seja bom para todos, é importante que os pais estejam preparados e dispostos a fazer algumas mudanças na rotina de suas vidas. Horários de sono, alimentação, vida social, tudo isso sofrerá transformações, e com essas transformações, vem algumas perdas. Mas que ao final do dia compensarão pelo retorno obtido: o sorriso e o bem estar de seu bebê.
É importante que o pediatra já tenha sido escolhido, pois ele será um dos grandes aliados para manter a saúde do bebê em dia. No final, o pediatra acaba agindo como médico de toda a família. Com certeza, muita gente tem opiniões e dicas para dar, de acordo com as experiências pessoais vividas, sempre na tentativa de ajudar. Mas é importante que seja consultada a opinião do profissional que se atualiza e se prepara para ajudar os pais e o bebê nesse momento tão especial.
Aleitamento materno exclusivo, banho do bebê, cuidados com o umbigo, roupas são alguns dos muitos assuntos a serem tratados com o pediatra.

Amamentação

Para que o bebê possa ter seu desenvolvimento saudável, com menos riscos de alergia alimentar, anemia e obesidade infantil, o alimento mais adequado para o bebê é o leite materno exclusivo até o sexto mês de vida. Sem água, sem chás, sem sucos, sem frutas, sem mais nada.

A partir do sexto mês, de acordo com as orientações obtidas nas consultas de rotina com o pediatra, serão introduzidos os sucos e as frutas, depois a comida salgada no almoço e jantar e os complementos necessários para a saúde do bebê, até que, com um ano de idade, ele comece a comer a comida da casa, desde que haja bons hábitos alimentares na família.

Cordão  umbilical

O cordão umbilical liga o bebê à mãe durante a gestação. É através do cordão que a mamãe alimenta e oxigena seu bebê. Assim que ocorre o nascimento, quando ele parar de pulsar, o cordão é pinçado e cortado pelo obstetra. A seguir, é colocado um “clamp” de plástico pelo pediatra. Uma pequena parte de aproximadamente três centímetros, chamada de coto umbilical, permanece no bebê. Esse é o primeiro passo de seu bebê a respirar e se alimentar por conta própria.

Inicialmente o coto tem aspecto amolecido e gelatinoso, tornando-se gradativamente escuro e seco. A queda do coto ocorre entre o sétimo e o décimo quinto dia de vida. Alguns recém-nascidos apresentam um umbigo grosso e gelatinoso o que poderá retardar sua queda em até 25 dias, sem que isto represente um problema. Esse “clamp” é removido antes da alta hospitalar.
Em casa, alguns cuidados são necessários com o coto umbilical. Até 10 dias após a queda do coto umbilical ele pode ter um pequeno sangramento ou ter um pouco de secreção. Assim, a limpeza do coto deve ser realizada após cada troca de fralda e após o banho para evitar infecção, até 10 dias depois de sua queda. Lave o umbigo no banho, normalmente, com água e sabão. Depois enxugue bem. É possível ajudar o processo de cicatrização mantendo a área do umbigo limpa e seca. Essa limpeza não é dolorida, mas alguns bebês podem não gostar e reclamar devido ao contato da pele com o líquido frio (álcool). Lave as mãos antes de iniciar a limpeza do coto. Retire a fralda do bebê e umedeça as duas extremidades da haste flexível com álcool a 70%. Passe a haste flexível entre o coto e a pele, com movimentos circulares. Utilize a quantidade de haste flexível necessária até que ele fique totalmente limpo.

Após limpar a base, passe também a haste flexível com álcool no restante do coto umbilical. Não é recomendada a utilização de faixa, gazes, curativos oclusivos ou qualquer outro produto no coto. Isso pode dificultar a aeração e a cicatrização.

Em presença de vermelhidão na pele próximo ao coto, secreção ou mau cheiro, contate seu pediatra. Isso pode representar um início de inflamação e, quanto antes for contido, melhor a evolução. Assim, não use mercúrio ou mertiolato ou qualquer antisséptico com cor porque isso pode mascarar a visualização do início da inflamação.

Umbigo

Após a queda do coto, o umbigo pode inchar e continuar a vazar um pouco, parecendo uma ferida. Esse quadro é conhecido como granuloma umbilical e desaparece rapidamente com o tratamento adequado, sem causar nenhum transtorno. Se o quadro persistir, entre em contato com seu pediatra.

Um dos quadros que assusta a mamãe e sua família é quando o umbigo “salta”. Esse quadro é conhecido como hérnia umbilical. Cada vez que o bebê faz força o abdômen durante um choro, por exemplo – essa hérnia pode aumentar. A hérnia umbilical não dói e dificilmente causa problemas. Independente da medida tomada ela desaparece aos poucos, sozinha, geralmente antes da criança completar cinco anos. Em alguns casos, há a necessidade da intervenção do cirurgião pediátrico para correção desse quadro. Mas a questão é, na imensa maioria das vezes, essencialmente estética. O pediatra que acompanha seu filho indicará o momento adequado para essa avaliação.

No próximo artigo, mostrarei como a rotina dos pais sofrer alterações com a chegada do bebê. Até mais.

Você também pode ver mais Dicas de saúde:

todas as dicas de saúde