Exames

Cardiologia

A evolução tecnológica das últimas décadas possibilitou um avanço diagnóstico enorme das doenças cardíacas, em especial, da doença arterial coronária, permitindo uma avaliação completa do coração. Neste sentido, métodos complementares não-invasivos específicos, como o teste de esforço, a cintilografia com radiosótopos, o ecocardiograma, a angiotomografia coronária e a ressonância magnética do coração (para avaliar a função miocárdica) foram desenvolvidos e possibilitam medidas preventivas relevantes com significativa redução da mortalidade e das seqüelas das doenças cardíacas podem ser utilizadas.

Tipos de Exames

Strain Miocárdico

Strain Miocárdico para avaliação de cardiotoxicidade em pacientes oncológicos

Eletrocardiograma de Repouso

O eletrocardiograma, conhecido como ECG, é um recurso diagnóstico extremamente útil na prática cardiológica clínica. É um exame não invasivo, de baixo custo que não ocasiona qualquer risco ao paciente.

O ECG realiza o registro da atividade elétrica do coração. Permite identificarmos alterações metabólicas de nosso organismo, alterações anatômicas do coração e diferentes doenças cardíacas. Mesmo com a evolução de outros métodos diagnóticos, o ECG permanece como o principal recurso para o diagnóstico de anormalidades do ritmo cardíaco, conhecidas clinicamente como arritmias cardíacas. É também um método fundamental na avaliação de pacientes com dor no peito. Possibilita a rápida confirmação do diagnóstico de infarto agudo do miocárdio em muitos pacientes com suspeita clínica da doença, auxiliando na escolha do melhor tratamento para o paciente.

Teste Ergométrico

É um importante método utilizado na prática cardiológica, de fácil realização, que fornece ao médico informações sobre a situação cardiovascular do individuo. Ele reproduz o que acontece com o sistema cardiovascular durante a atividade física. Ele esta indicado em situações diversas.

INDICAÇÕES:

- Avaliação da dor torácica;

- Avaliação e suspeita de doença arterial coronariana;

- Avaliação pós-tratamento cardiológico (cirurgias cardíacas e angioplastia);

- Avaliação da pressão arterial;

- Avaliação de arritmias;

- Avaliação pré-operatória;

- Avaliação pre-esportiva.

PREPARO PARA REALIZAÇÃO DO TESTE ERGOMÉTRICO

• Tome os seus medicamentos normalmente. Só suspenda se o seu médico assintente solicitar.

• Medicamentos que devem ser mantidos: para diabetes, tireóide, hormônios e antidepressivos.

• Alimentar-se levemente duas horas antes do exame:

» Exame no período da manhã: alimente-se, evitando apenas café, chá-mate e chocolate.

» Exame no período da tarde: última refeição deve ser leve e 2 horas antes do teste.

» Exame no período da noite: não jantar antes do exame, apenas lanchar no final da tarde.

• No dia do exame trazer ou vir vestido com as seguintes vestimentas:

» Homem: tênis ou sapato leve de borracha, agasalho ou bermuda usada na prática de esportes e toalha de rosto.

» Mulher: tênis ou sapato leve de borracha, toalha de rosto, agasalho ou bermuda, vir de soutien.

• Evite o cigarro no dia do teste.

• Chegar com 30 minutos de antecedência do horário marcado.

• Desengorduramento da pele do tórax é importante: procure retirar a gordura da pele escovando-a.

• Evite passar cremes após o seu último banho.

• Evite exercícios antes do teste no dia do exame.

• Repouso na noite prévia ao teste, evitando excesso de bebidas alcoólicas.

Ecocardiograma Fetal

O ecocardiograma fetal avalia o caração de um bebê durante a gestação (feto). O médico recomenda este tipo de ecocardiograma para saber se o coração do feto tem algum problema cardíaco. Este exame pode detectar más-formações cardíacas, acompanhamento de fetos com problemas cardíacos, aconselhamento genético-cardiológico para os pais e planejamento do parto em hospital com suporte em cardiologia pediátrica e cirurgia cardíaca. A Nova Diagnóstico conta com apóio da Dra. Lílian Maria Lopes, pioneira brasileira nesta modalidade, que possui uma agenda mensal.

Fatores maternos

1. Idade materna superior a 35 anos.

2. História Familiar de cardiopatia congênita (aumento de risco de 10% se pais afetados).

3. Filho anterior cardiopata (aumento de risco de 2% para 1 afetado, 10% para 2 afetados, lembrando que a incidência de cardiopatias na população é de 1%).

4. Doenças maternas: Diabetes mellitus (risco de cardiopatia fetal em torno de 2%; o controle adequado do diabetes no início da gestação provavelmente reduz esse risco), Doenças auto-imunes (Lúpus), Fenilcetonúria e Isoimunização Rh.

5. Exposição a agentes comprovadamente cardio-teratogênicos (lítio, anticonvulsivantes) ou com ação em canal arterial (vasoconstrictor nasal em grande quantidade e anti-inflamatórios não hormonais).

Fatores fetais:

1. Translucência nucal aumentada, independente do resultado do cariótipo.

2. Doppler do ducto venoso anormal no primeiro trimestre e/ou presença de regurgitação da valva tricúspide.

3. Gestantes “normais” cuja ultrassonografia obstétrica revelou aspecto anormal do coração fetal pelo rastreamento (corte de 4 câmaras ou saída das artérias anormal). É considerado o grupo de mais alto mais risco.

4. Anomalias extra-cardíacas e cariótipo fetal alterado.

5. Restrição de crescimento fetal grave (peso fetal abaixo do percentil 5 para a idade gestacional).

6. Gestação múltipla (notadamente as monocoriônicas).

7. Hidropisia fetal não imune.

8. Arritmias fetais (foco arrítmico ou com “pausas”).

9. Bradicardia (freqüência cardíaca menor que 100bpm). Lembrar que as bradicardias transitórias costumam ser benignas e que as bradicardias mantidas com freqüências abaixo de 80bpm costumam ser formas de bloqueio atrio-ventricular e, portanto, devem ser estudadas o mais rápido possível.

10. Taquicardia (Frequência acima de 200bpm). É emergência em cardiologia fetal pelo risco de óbito e hidropisia. Indicar ecocardiografia nível II para definição seguida de tratamento imediato.

Ecocardiograma Transtorácico

O ecocardiograma é um exame não-invasivo (sem dor) utilizado na prática cardiológica, obtido através da emissão de ondas de ultrassom para se obter imagens do coração em tempo real. A ecocardiografia dá ao médico inúmeras informações de como se encontra o coração, analisando o seu tamanho, força de contração, análise da contratilidade regional do músculo, análise de áreas de infarto do miocárdio, análise das valvas cardíacas, estudo do pericárdio (membrana que envolve o coração), avaliação da artéria aorta (porção torácica).

O ecocardiograma convencionalmente é realizado por ecocardiografista (médico que realiza o exame) utilizando transdutor no tórax (peito) do paciente.

Ressonância Magnética do Coração

Ressonância Magnética (RM) é um exame moderno diferente da Radiografia e da Tomografia Computadorizada, pois não utiliza radiação e, sim, um forte campo magnético e ondas de rádio que permitem a formação de imagens. Não produz efeitos prejudiciais e permite ao médico examinar, com precisão, diferentes partes do corpo. O computador gera imagens que permitem uma boa observação do miocárdio, identificar zonas lesadas por um infarto, mostrar defeitos congênitos e avaliar os vasos de maior calibre como a aorta.

A RM cardíaca possibilita a detecção da viabilidade miocárdica, fornecendo informações sobre a extensão de músculo cardíaco afetado após um infarto, determinando a função ventricular e detectando a isquemia verdadeira, em concorrência com os testes de medicina nuclear e com o cateterismo. O melhor atributo da RM cardíaca é a capacidade de combinar em um único exame que dura entre 20 e 40 minutos, a avaliação morfológica, funcional e determinar a viabilidade miocárdica.

Através da utilização de um meio de contraste (Gadolínio) a perfusão das artérias coronarianas e a função ventricular esquerda são avaliadas, incluindo a viabilidade miocárdica. A perfusão miocárdica sob estresse farmacológico com Dipiridamol também pode ser avaliada.

O exame é particularmente útil para diagnosticar doenças da aorta, do pericárdio, doenças congênitas antes ou depois de correções cirúrgicas, doenças do músculo cardíaco, principalmente tumores cardíacos ou do pulmão que, por vizinhança, tenham invadido o coração.

O exame é inofensivo e indolor. Somente crianças recém-nascidas e pacientes pouco cooperativos (claustrofóbicos) recebem algum tipo de sedação ou anestesia. Durante todo o exame, o paciente é monitorado e observado por câmeras de vídeo. Pode conversar com o técnico responsável que o manterá informado sobre a qualidade dos resultados que estão sendo obtidos e sobre o tempo que resta para finalizá-lo.

Se desejar, pode usar tampões de ouvido.

Antes

O paciente, no dia marcado para o exame deve:

- alimentar-se com moderação.

- tomar seus remédios usuais.

- não usar objetos pessoais de metal.

- estar no local, pelo menos, trinta minutos antes do horário.

- se o exame for realizado sob sedação ou anestesia, será necessário jejum total de 6 horas.

Durante

Na hora do exame, deve:

- vestir uma roupa adequada.

- deitar-se em uma espécie de cama que desliza para dentro do aparelho.

- ficar imóvel nos momentos em que o aparelho em ite diferentes sons enquanto realiza as imagens.

Depois

Após o exame, o paciente pode reassumir suas atividades normais. O resultado deve ser encaminhado ao médico que, muito provavelmente, a partir dele, encontrará a melhor solução para o problema.

Recomendações

É preciso informar ao médico que vai realizar o exame:

- Se se submeteu a alguma cirurgia nos últimos 6 meses e de que tipo.

- Se é portador de:

- marca-passo cardíaco.

- clips de aneurisma cerebral.

- implantes metálicos.

- implantes eletrônicos.

- neuro-estimuladores.

- Se suspeita de gravidez.

- Se pode permanecer deitado com mínimo de movimento por, aproximadamente, 35 minutos.

Angiotomografia Coronariana

A Angiotomografia das artérias coronárias é um exame não invasivo que permite a avaliação da anatomia das artérias coronarianas. Este exame é indicado em pacientes assintomáticos com elevado risco de doença coronariana, quando o teste de esforço foi inconclusivo, na detecção precoce das dores torácicas e no acompanhamento pós revascularização e pós angioplastia.

Através de reconstruções multiplanares e tridimensionais de altíssima definição, realizando varreduras amplas e detalhadas do coração em curto espaço de tempo é possível uma avaliação adequada da anatomia coronariana, permitindo a identificaçao de obstruções ou de diminuição de fluxo do sangue. Usa-se para isso um contraste que é injetado numa veia.

Procedimento com anestesia:

Adultos:

- Estar em jejum absoluto de 08 horas.

Crianças:

- 0 a 6 meses : 04 horas de jejum para alimentação líquida( leite materno, sucos, água, chás, etc), qualquer alimento : 06 horas de jejum.

- 6 meses a 2 anos: 06 horas de jejum absoluto.

- Acima de 2 anos: 08 horas de jejum absoluto.

A criança não pode estar gripada, resfriada ou febril.

Procedimento sem anestesia:

Estar em jejum absoluto de 4 horas.

Medicações

- Caso o paciente seja diabético e utilize as medicações abaixo relacionadas: Metformina ou Cloridrato de Metformina, Glucophage, Glucobay, Glicofage, Glifage, Glucoformin, Staform, Glucovance, Glipemil e Dimefor. O mesmo deverá suspender de 48 a 72 horas antes do exame, caso o paciente seja diabético mas utilize outras medicações indicar na observação ao finalizar o agendamento.

- Não suspender os medicamentos em uso, sem devida autorização médica . Caso seja necessário ingerir medicamentos no período de jejum para a realização do exame, o mesmo deverá ser feito com pequena quantidade de água.